Jornal Nacional | Rocinha, no Rio, tem intenso tiroteio nas primeiras horas de 2018

autor Revista WNews   2 weekly ago
382 puntos de vista

2 Like   0 Dislike

EXCLUSIVO: TRAFICANTES TRANSFORMAM COMPLEXO DE FAVELAS DO RIO EM ZONA DE GUERRA 2017

GUERRA NO RIO DE JANEIRO 2017

Core perde um de seus principais atiradores durante tiroteio no Jacarezinho

Core perde um de seus principais atiradores durante tiroteio no Jacarezinho

FANTÁSTICO MOSTRA A GUERRA NA ROCINHA - ENTENDA O PASSO A PASSO DESSA GUERRA - VIDEO COMPLETO 2017

GUERRA NA ROCINHA FANTÁSTICO

Guerra entre traficantes protagonizam Tiroteios na Favela da Rocinha Rio de Janeiro

Pelo menos duas pessoas foram em intensos tiroteios na manhã de domingo. Na madrugada desta segunda-feira, Túnel Zuzu Angel chegou a ficar interditado para chegada das tropas policiais. #RocinhaRJ #rocinha #rocinharj #amaiordaamericalatina #riodejaneiro #riotrip #riofavela #faveladarocinha #rocinhafavela #r#euamooriodejaneiro #guerra #guerracivil #war #civilwar #riodejaneiro #rj #rocinha #favela #pmerj #infantaria #combate #military #militar #infantry #paz #dehoje #021 #violencia #diaadia @pmerj

Moradores dos morros do Rio de Janeiro começam 2018 convivendo com a violência

Desta vez, houve confronto nas comunidades do Jacarezinho e Rocinha. Em 2017, a cidade teve uma média de 14 tiroteios por dia

Com a mulher grávida, e sem poder sair de casa, morador desabafa em vídeo. Na favela do Jacarezinho, base da UPP foi atacada e PM ficou ferido.

Neste primeiro dia do ano, um tiroteio intenso assustou os moradores da favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. O confronto foi entre bandidos e policiais.

Foi a trilha sonora do primeiro dia do ano na Rocinha. Não eram fogos para comemorar a chegada de 2018. Eram tiros, que os moradores se acostumaram a ouvir ao longo de 2017.

A polícia informou que o tiroteio começou quando policiais do Batalhão de Choque se depararam com traficantes armados na comunidade. No confronto, um PM e um bandido, que era foragido, foram baleados.

Com a mulher grávida, e sem poder sair de casa, um morador desabafou num vídeo. “Nove horas da manhã, hein. Com a minha esposa aqui, nove meses e a Rocinha em guerra, cara. Minha esposa sentindo contração. O que é que vou fazer? Me diz aí.”

O ano de 2017 foi difícil para quem mora na Rocinha. Em setembro, a disputa pelo controle do tráfico de drogas deu início a uma sequência de confrontos na comunidade.

De um lado, estava o grupo comandado pelo traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem. Mesmo preso, dava ordens à quadrilha. Do outro, o bando de Rogério 157, que já foi braço direito de Nem e se tornou um rival.

No dia 17 de setembro, bandidos ligados ao traficante Nem invadiram a Rocinha para expulsar Rogério 157. A partir daí a comunidade viveu dias de intenso tiroteio.

As Forças Armadas foram chamadas. Fizeram um cerco para conter a violência. Mas Rogério 157 conseguiu fugir e passou a ser o bandido mais procurado do Rio. Foi preso no dia 6 de dezembro, na favela do Arará, zona norte do Rio.

Desde a saída das Forças Armadas, em setembro, a Rocinha conta com reforço de policiais de outras unidades de Polícia Pacificadora e também de vários batalhões. Mas os moradores ainda não passaram a viver tempos de paz. Na tarde desta segunda-feira (1º), eles voltaram a ouvir som de tiros.

Em 2017 foram registrados 5.155 alertas de tiroteios no Rio, uma média de 14 por dia. O levantamento foi feito por um grupo que avisa sobre confrontos numa rede social.

Na manhã desta segunda, também teve tiro na favela do Jacarezinho, na zona norte. Uma base da Unidade de Polícia Pacificadora foi atacada e um PM ficou ferido.

Comentarios para el video: